Estatinas, Sensibilidade às

Teste, pela PCR, para determinar as variantes CC, CT ou TT do gene SLCO1B1
Ícone Material

TIPO E QUANTIDADE DE MATERIAL

4 ml de sangue em EDTA ou

2 tubos de células bucais em álcool

Ícone Prazo

PRAZO DE ENTREGA

30 dias

Conteúdo relacionado

Estatinas, Sensibilidade às


Colesterol/Estatinas/Miopatia

Teste para risco genético de doença muscular após ingestão de medicamento para baixar o colesterol

ESTATINAS 
Mais de 100 milhões de pessoas no mundo todo fazem tratamento de colesterol elevado com as Estatinas, uma classe de medicamentos que inclui SinvastatinaAtorvastatina, Fluvastatina, Lovastatina, Pravastatina e Rosuvastatina. Uma lista dos nomes comerciais desses medicamentos vai aqui anexada.

RISCO DE MIOPATIA
Embora as estatinas sejam geralmente seguras e eficientes, elas podem causar efeitos colaterais musculares, que vão desde dores e fraqueza dos músculos até necrose (destruição) de células musculares, que pode levar à insuficiência renal aguda e morte. Milhões de pessoas são vítimas do grave efeito colateral das Estatinas que é a Miopatia.

NOVO TESTE GENÉTICO
A Miopatia induzida por Estatinas em sua forma leve impede que o paciente siga o tratamento; em sua forma extrema pode levar à necrose muscular (rabdomiólise), insuficiência renal aguda e morte. O novo teste de variantes do geneSLCO1B1, no cromossomo 12, é usado para identificar pessoas a risco e está indicado para todo paciente a ser medicado com qualquer uma das Estatinas. Ele é útil também para quem desenvolveu problemas musculares após a ingestão de Estatinas.

Deve ser destacado que o teste da CPK, quando usado para controle do tratamento com Estatinas, não é preditivo e só acusa a miopatia já instalada. O teste CPK não tem sensibilidade para detectar danos inicialmente microscópicos aos músculos (Mohaupt et al. CMAJ 181: E11-8, 2009), que evoluem silenciosamente.

RESULTADO
Há 3 resultados possíveis do teste genético preditivo e preventivo de Risco de Miopatia induzida por Estatinas:

  1. Resultado CC é homozigoto para a variante da alta sensibilidade e indica risco 57 vezes aumentado (17%) do paciente desenvolver Miopatia pelo uso de Estatinas, comparado aos pacientes TT, que têm risco basal (ver abaixo). Segundo estudo populacional do GENE, no Brasil 4% das pessoas tem o genótipo CC que alerta para o risco.
  2. Resultado CT (heterozigoto) indica risco 15 vezes aumentado (4,5%) do paciente desenvolver Miopatia ao se tratar com alguma Estatina, comparado aos pacientes TT de baixo risco (ver abaixo). Dados do GENE indicam que, na população brasileira, 28% das pessoas tem o genótipo CT.
  3. Resultado TT (homozigoto) indica que o paciente tem genótipo de risco basal baixo (0,3%) de desenvolverMiopatia com uso de Estatina. Segundo estudo populacional do GENE, 68% das pessoas tem o genótipo TT na população brasileira.

Mais informações:
[email protected]
0800 0 316 316 / 31- 3284  8000 / 11- 3261  1202

TIPOS E NOMES COMERCIAIS DAS ESTATINAS:

Sinvastatina genérica, Clinfar, Cordiron, Sinvalip, Sinvascor, Sinvastacor, Sinvastamed, Sinvaz, Vastatil, Zocor
Atorvastatina: Citalor, Lipitor
Fluvastatina: Lescol
Lovastatina genérica, Mevacor, Reducol, Lovax, Lovasterol
Pravastatina genérica, Mevalotin, Pravacol
Rosuvastatina: Crestor, Vivacor