Exames

Amostra de Perda Fetal Exame Genético CytoSNP

PERDA GESTACIONAL

PERINATAL OU NEONATAL 

DIAGNÓSTICO GENÉTICO MOLECULAR 

O Laboratório GENE disponibiliza duas opções de Diagnóstico Genético Molecular  para tentar esclarecer a causa de uma perda gestacional.

Opção 1) Diagnóstico Cromossômico Molecular Sequencial QF-PCR / SNP array  que pode detectar:

•TODAS as alterações cromossômicas quantitativas associadas a perda de gravidez, morte perinatal ou neonatal.

Opção 2) Diagnóstico Genômico Molecular Sequencial QF-PCR / NGS – Sequenciamento Completo do Exoma que pode detectar:

•TODAS as alterações cromossômicas quantitativas (análise equivalente à da opção 1 acima) 

+

•TODAS as alterações gênicas que causam doenças genéticas graves ou letais recessivas ou dominantes, ligadas ao X e mitocondriais (codificadas no genoma nuclear).

Detalhes da OPÇÃO 1) para amostras de perdas gestacionais precoces e em casos de abortamentos de repetição (sem consanguinidade do casal)  é indicado realizar o Diagnóstico Cromossômico Molecular Sequencial com testes QF-PCR / SNP array.

Será analisado  DNA extraído de tecidos dissecados da amostra entregue ou enviada ao Laboratório GENE e o testes cromossômicos moleculares permitem diagnosticar TODAS as alterações cromossômicas fetais quantitativas que são a causa mais frequente de perdas gestacionais precoces (75 a 80% dos casos). Ao incluir uma varredura minuciosa de todo o genoma humano, utilizando cerca de 300 mil marcadores, as análises realizadas podem detectar TODAS as variações quantitativas de de falta (deleção) ou de excesso (duplicação) clinicamente relevantes de material genético:

• Tetrassomias, trissomias e monossomias parciais ou completas de TODOS os 22 pares de cromossomos autossômicos (nos. 1 a 22),

• Alterações cromossômicas numéricas e quantitativas também nos cromossomos gonossômicos (sexuais) X e Y,

• Tetraploidia (presença de 92 cromossomos em vez de 46, o número normal),

• Triploidia (presença de 69 cromossomos, em vez de 46, o número normal. Isso acontece, em geral,  por fertilização de um óvulo, com 23 cromossomos, por dois espermatozóides com 23 cromossomos cada um),

• Deleções e duplicações microscópicas e submicroscópicas (microdeleções e microduplicações),

• Translocações não-balanceadas,

• Mosaicismo (> 30% de células alteradas misturadas com células cromossomicamente normais),

• Dissomia uniparental (UPD): isodissomias e heterodissomias

• Regiões de homozigosidade / perda de heterozigosidade (sugestivas de possíveis doenças gênicas recessivas, que podem e devem ser investigadas pelo teste NGS – Sequenciamento Completo do Exoma, não incluído nessa opção 1).

Saiba mais sobre a metodologia SNP array (CytoSNP) acessando http://webapp156342.ip-72-14-176-210.cloudezapp.io/wp-admin/post.php?post=1493&action=edit

IMPORTANTE: O diagnóstico cromossômico molecular sequencial em DNA muito fragmentado (a exemplo do obtido de amostra de aborto retido por longo tempo, de tecidos de perda gestacional que só passaram por formol ou que foram fixados e inclusos em blocos de parafina etc) será realizado pelas técnicas QF-PCR / SNP array / LP-WGS, conforme necessário. Os testes sequenciais pelas técnicas QF-PCR / SNParray / LP-WGS analisam aneuploidias e todas alterações quantitativas, incluindo as submicroscópicas (Referência: Chau MHK, et al. Low-pass genome sequencing: a validated method in clinical cytogenetics. Hum Genet. 2020 Nov;139(11):1403-1415), https://link.springer.com/article/10.1007/s00439-020-2185-9).

Detalhes da OPÇÃO 2) indicada para fetos com malformações visualizadas em exame de ultrassom, para casos de perda gestacional mais tardia (bebê natimorto), de morte neonatal ou perinatal.

O Diagnóstico Genômico Molecular Sequencial com testes QF-PCR / NGS – Sequenciamento Completo do Exoma constitui a denominada “autópsia molecular fetal” e analisa DNA extraído da amostra entregue ou enviada, ao Laboratório GENE. A autópsia molecular tem condição de investigar tudo que a opção 1 investiga (descrição acima) e ir além. 

A opção 2, na atualidade, é a forma mais completa de investigação genética disponível na rotina laboratorial diagnóstica porque ela avalia tanto as alterações cromossômicas quantitativas (resultado equivalente ao dos testes da opção 1, acima), como também  avalia as mutações gênicas, nos cerca de 20.000 genes humanos, que são sabidamente  causadoras de doenças Mendelianas severas ou letais (recessivas ou dominantes, causadas mutações novas, acidentais), de doenças ligadas ao X e de doenças mitocondriais codificadas no genoma nuclear. 

As indicações formais para o diagnóstico genômico  molecular (autópsia molecular fetal) sequencial, incluindo a análise cromossômica dos 23 pares de cromossomos humanos + a análise de mutações nos cerca de 20 mil genes do exoma fetal por NGS, quando necessário, são:

• Consanguinidade dos pais

• CIUR – Crescimento Intra-Uterino Retardado

• Malformação cardíaca fetal

• Malformações fetais múltiplas

• Displasia esquelética

• Hidropisia fetal

• Hidrotórax

• Ascite

• Polidramnia (excesso de líquido amniótico)

• Oligodramnia (escassez de líquido amniótico)

• Acinesia fetal

• Hérnia diafragmática

• Rins policísticos

• Agenesia de membros

• Amputação de membros

• Encefalocele

• Hidrocefalia

• Holoprosencefalia

IMPORTANTE: O Laboratório GENE disponibiliza o diagnóstico genômico molecular sequencial em DNA muito fragmentado (a exemplo do obtido de algumas amostras de aborto retido ou de perda gestacional cujos tecidos foram fixados com formol ou estão inseridos em blocos de parafina). Para o teste de DNA degradado, o valor tem um acréscimo, pois a extração do DNA é complexa e os processamentos são mais dispendiosos.

Amostra:

Ambas as opções de busca diagnóstica, descritas acima, podem ser realizadas em tecidos obtidos por curetagem, aspiração manual intra-uterina (AMIU) ou expelidos espontaneamente. Um fragmento de 1cm de cordão umbilical ou de pele de feto ou natimorto também é adequado. Os tecidos podem ser mantidos em soro fisiológico ou em álcool comum (etanol). De preferência não usar formol porque esse químico forte fragmenta o DNA. A amostra já passou por formol ou está em blocos de parafina de exame anatomopatológico? Por favor, faça contato para mais informações.

Entrega:

O prazo varia de 30 a 60 dias, sendo importante entender que a liberação do resultado depende do parecer do médico geneticista, Dr. Sérgio Pena, que realiza as análises pessoalmente e emite todos os laudos. É importante também entender que esse prazo depende do nível de fragmentação do DNA extraído da amostra enviada para análise e da sequência de procedimentos a serem realizados, de modo a permitir compilar a maior quantidade de informações cromossômicas possível, utilizando a técnica que melhor se adequar, o que varia caso-a-caso.

Encontre um exame

Veja a relação completa de exames disponibilizados pelo GENE

PRINCIPAIS EXAMES

CONHEÇA O FUNDADOR DO LABORATÓRIO GENE

Dr. Sérgio Pena é Médico-geneticista, Ph.D em Genética Humana pela Universidade de Manitoba (Canadá) e Fellow do Royal College of Physicians and Surgeons do Canadá. Diretor Médico e Científico do GENE – Núcleo de Medicina Genética, Professor Titular do Departamento de Bioquímica e Imunologia e Professor da Pós-Graduação em Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais.